Coordenador do Detran/MG é exonerado por suspeita de fraudes

Compartilhe

A corregedoria da Polícia Civil investiga a participação do delegado Claudio Freitas Utsch Moreira por irregularidades no Departamento Nacional de Trânsito de Minas Gerais (Detran/MG). Ele foi exonerado do cargo de delegado-geral e de Coordenador de Operações Policiais (COP). A decisão, fundamentada por unanimidade pelo Órgão Especial do Conselho Superior da PCMG, foi publicada nesta quinta-feira. A decisão foi tomada depois da circulação de áudios nas redes sociais que indicariam fraudes por parte do delegado.

O jornal Estado de Minas teve acesso a áudios que possivelmente seriam do delegado. Em um deles, ele conversa com uma pessoa, chamada pelo apelido de “Muxiba”, onde indica que irá liberar caminhões com irregularidades.

“O muxiba, conversei com a Angélica e acertei os ponteiros com ela. Vamos fazer o seguinte: você vai juntar esses eixos, vai me entregar uma vez por semana. Não tem disso que o caminhão está carregado e tem que sair amanhã, que eu devolvo na hora. Por que carrega o caminhão se está ruim, sem documento? Então, é para passar. Pede o cara 10 dias. Ai, você passa para mim e, em uma semana, dez dias. Fala com ele, de sete a 10 dias. Você passa uma vez por semana. Vai descer lá embaixo e fazer. Pro cara ter a consciência do que ele vai fazer. Para não pegar tranqueira não e der problema”, disse.

Em outra parte do áudio, ele conta outros detalhes de como será feita a operação. “Ela faz o disparo e você vai caladinho, conversa com a Juliana, com o Ronaldo. De vez em quando, dá uma beirada para o Ronaldo, de vez em quando dá uma beirada para a Juliana. Ela vai fazer, tá. E aquele 60 e 70 que você falou, vai fazer tudo também. Agora, as alfas, já estão fazendo o levantamento, a Prodemge vai informar todas, vou transferir tudo da furtos de veículos para cá. Quando eu transferir tudo para cá, nós vamos fazer tudo, tá?”, afirmou.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que a decisão de exonerar o delegado foi tomada por unanimidade pelo  Órgão Especial do Conselho Superior, “em razão da circulação de áudios com indicativos de possíveis irregularidades reveladas naquela Coordenação”. “O Chefe da Polícia Civil ao tomar conhecimento do fato determinou à Corregedoria-Geral de Polícia Civil a imediata apuração dos fatos, visando apurar a veracidade dos áudios, individualização da autoria e das condutas irregulares mencionadas nos áudios”.

No documento, também condena a conduta. “A Polícia Civil reafirma seu compromisso institucional de promover a devida apuração da grave denúncia, pois suas ações e atos sempre são pautados nos princípios da legalidade, moralidade, oficialidade e publicidade, não coadunando com nenhum tipo de desvio de conduta de seus servidores”, finalizou.

O delegado Cláudio Utsch terá outro cargo na Polícia Civil. Ele foi transferido para a Divisão de Operações de Telecomunicações (Cepolc), de acordo com o texto da exoneração publicado nesta quinta-feira.

Deixe uma resposta